A lei da Causalidade

Homens fracos acreditam na sorte. Homens fortes acreditam em causa e efeito.

— Ralph Waldo Emerson

Um jovem estudioso tinha uma simpatia para ir bem nas provas. Todos os dias, após os estudos, ele acendia uma vela e dava dois saltinhos. Em um dado dia, ele não teve tempo para estudar. Ainda assim, sabia que tudo daria certo através de seu ritual da sorte. Mas era óbvio, ele foi muito mal.

Acreditar no controle da Realidade significa tirar a responsabilidade de eventos aleatórios, como a sorte, e tomar as rédeas do próprio destino. É o estudo das Causas e Efeitos que nos permite algum direcionamento neste sentido. Viver sem algum designio seria como embaralhar um conjunto de 52 cartas e esperar que alguma hora elas saiam todas ordenadas. Não existe o acaso.

Causa e Efeito significa que, sempre que houver um evento A, ele resultará em um evento B. Se você colocar as suas mãos debaixo de uma torneira aberta, ela ficará molhada. Por outro lado, B não necessariamente resultará de A. Sua mão pode se molhar com algo além da torneira! Uma causa terá sempre os mesmos efeitos, mas os efeitos nem sempre virão das mesmas causas.

Resumindo: Se A (causa), então B (efeito). A -> B.

A partir desta premissa, podemos dividir o estudo da Causalidade em duas distintas ordens.

O estudo dos efeitos.

Ou experimento causal, é o ato de verificar os efeitos que surgem das nossas ações. Através do poder da mudança, podemos sintonizar o nosso ser e verificar como as coisas se alteram.

A partir de meu Eu atual, minha Realidade existe. Caso eu queira algum outro resultado, devo estudar e mudar algumas características próprias. O que gera melhores resultados em um teste? Estudar mais ou menos? Ler, escrever ou ouvir? Quais metodologias podem ter os melhores efeitos?

Acreditar em um mundo causal significa parar de reclamar da vida. Quando reclamamos, delegamos as causas para fora de nosso controle. Ao invés disso, seria muito mais útil refletir sobre o assunto e começar a testar algumas mudanças. É hora de parar de observar o que você está recebendo da sua Realidade. Mapeie seus problemas, suas qualidades, pontos fortes e fracos. Escreva em um papel todos estes efeitos que você obtém. O primeiro passo para o Auto Conhecimento é perceber o que acontece no mundo externo dos efeitos.

É necessário certa humildade para perceber seu mundo de forma sincera. A maioria das pessoas não percebem que são negativas. É impossível pensar em mudar as causas da negatividade, se você não percebe sequer que ela existe. Da mesma forma, pensamentos negativos também geram outros efeitos, iniciando um problema em cadeia. Perceba a sua Realidade antes de pensar em como agir.

O estudo das causas.

Problemas constantes significam uma causa constante.

Estudar as causas depende totalmente da percepção clara dos efeitos, e além disso, estudar passo-a-passo toda a cadeia causal. Você não pode mudar sua Realidade se não encontrar a causa raiz. Aqui, é importante expandir a sua visão e ignorar toda a doutrinação simplista que recebemos.

Apenas estudar não fará com que você passe em um vestibular. Trabalhar não o fará ficar rico. Ser gentil não conquistará a pessoa amada.

Somos educados como animais. Aperte o botão azul e ganhe comida. Aperte o botão vermelho e ganhe água. Infelizmente a Verdade não funciona desta forma. Para chegar de A até B, muitos questionamentos precisam ser levantados. Você terá que pressionar uma grande quantidade de botões, fazer experimentos e principalmente estudar e refletir sobre as leis da causalidade.

A causalidade não é o poder em si. O que ganhamos é a curiosidade e o questionamento para buscar os elementos desta grande charada. Ao nos perguntarmos o por que e como, começamos a ir além daquilo que enxergamos. Grande parte do que acontece conosco surge de outros níveis. Um problema físico pode ter uma causa emocional, assim como o que acontece em nosso mundo externo é mero reflexo de nosso interior. A Realidade em si é apenas um efeito.

Poder chave adquirido: Questionamento causal.